Fígado Gordo: a prevenção passa essencialmente pela adoção de uma alimentação saudável

Artigo de opinião de José Presa, presidente da Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF)

A alimentação saudável tem uma grande importância no que respeita à prevenção e ao tratamento da esteatose hepática, doença habitualmente conhecida como Fígado Gordo. Esta é uma patologia prevenível e reversível nas suas fases iniciais, passando em grande parte pela alimentação adequada, a par do exercício físico e do consumo reduzido ou idealmente ausente de bebidas alcoólicas.

É estimado que mais de um terço da população adulta em Portugal tenha esteatose hepática, ou seja, mais de três milhões de portugueses. Esta doença consiste na acumulação de gordura nas células do fígado, resultante da sua ingestão em excesso, de maneira que o organismo não a consiga processar. É considerado Fígado Gordo quando a gordura corresponde entre cinco a 10% da massa do fígado. Pode ser uma situação simples, que não cause lesão do fígado, ou, pelo contrário, pode evoluir para inflamação deste órgão, e levar ao comprometimento da sua função e a doenças graves, como cirrose hepática ou cancro hepático.

É de destacar a relação direta entre esta doença, o tipo de alimentação, estilo de vida sedentário, fatores associados ao excesso de peso. A prevenção passa essencialmente pela adoção de uma alimentação saudável, com menor consumo de gorduras e hidratos de carbono, menor quantidade de alimentos processados e ultraprocessados, maior ingestão de vegetais e um consumo reduzido ou ausente de bebidas alcoólicas. Além disso, a prática regular de exercício físico também contribui bastante para a prevenção.

Apesar de ser uma doença silenciosa, sobretudo inicialmente, em alguns casos pode provocar cansaço, perda de apetite, náuseas e vómitos, icterícia e ascite, isto é, a distensão do abdómen por acumulação de líquido, numa fase mais avançada da doença. Por esse motivo, é muito importante que as pessoas consultem o seu médico regularmente e façam exames de rotina.

Relativamente ao tratamento, a alimentação tem um papel fundamental. Não existe nenhuma terapêutica específica nem medicamentos eficazes para o tratamento da esteatose hepática, pelo que uma dieta equilibrada, tendo em vista a perda de peso e o controlo das doenças associadas, como a diabetes e as alterações do colesterol e dos triglicéridos. Apenas a perda de sete a 10% do peso corporal, tem um efeito benéfico sobre a esteatose e a inflamação.

A alimentação saudável é essencial na prevenção e no tratamento do fígado gordo. Alimente-se corretamente e cuide do seu fígado. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

APEF - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA O ESTUDO DO FÍGADO
Rua Abranches Ferrão, nº 10 - 14º
1600-001 Lisboa Tel: 217995536 
Fax: 217995538
geral@apef.com.pt

Horário de funcionamento:
9.00 - 13.00, 14.00 - 18.00

Secretariado

Luis Maco
Diretor-Geral
luis.maco@apef.com.pt
Andreia Neto
andreia.neto@apef.com.pt
Teresa Jorge
teresa.jorge@apef.com.pt
Cândida Rodrigues

Tornar-se sócio

É favor enviar ao Presidente da APEF, até 3 meses da data da Assembleia Geral, a proposta devidamente preenchida, assinada por dois sócios titulares da APEF e acompanhada das notas curriculares (resumo cv), para: Geral@apef.com.pt ou para

APEF - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA O ESTUDO DO FÍGADO, Rua Abranches Ferrão

Nº10 - 14º 1600-001 Lisboa.

Ficha de Inscrição